Publicado em 17/11/2017 às 15h00.

Papa Francisco diz que eutanásia é ilícita

Reflexões estão em carta enviada aos participantes do Encontro Regional Europeu da Associação Médica Mundial

Redação
Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook

 

O papa Francisco afirmou nesta quinta-feira (16) que a eutanásia é sempre ilícita, mas reconheceu como “moralmente lícito” renunciar ou suspender a aplicação de meios terapêuticos quando eles são eticamente desproporcionais.

Ele fez essas reflexões em carta enviada aos participantes do Encontro Regional Europeu da Associação Médica Mundial, que acontece no Vaticano, organizado pela Pontifícia Academia para a Vida.

O papa citou a Declaração sobre a Eutanásia, de 5 de maio de 1980, e afirmou que é “moralmente lícito renunciar à aplicação de meios terapêuticos ou suspendê-los, quando o seu emprego não corresponde àquele critério ético e humanista que será mais tarde após definido (como) proporcionalidade dos tratamentos”.

Essa escolha, justificou, “assume responsavelmente o limite da condição humana mortal, no momento em que reconhece não mais poder contrastá-lo, sem abrir justificativas à supressão do viver”.

“Uma ação, portanto, que tem um significado ético completamente diferente da eutanásia, que permanece sempre ilícita, enquanto se propõe interromper a vida, buscando a morte”, completou.

PUBLICIDADE