Publicado em 14/09/2018 às 15h37.

Ex-prefeito é punido por superfaturar transporte de cadáveres

Gildo Mota Bispo pagou R$ 1.075 a mais pelo transporte de dois corpos da cidade vizinha Jacobina até Serrolândia

Redação
Foto: prefeitura de Serrolândia
Foto: prefeitura de Serrolândia

 

O ex-prefeito de Serrolândia Gildo Mota Bispo foi condenado pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) a devolver aos cofres públicos R$ 1.075 por superfaturar o custo do transporte de cadáveres para velórios e sepultamentos no ano de 2016.

O traslado de dois corpos em ocasiões diferentes foi da cidade vizinha Jacobina, onde ocorreram as mortes, até Serrolândia.

Os dois contratos assinados pelo ex-prefeito para prestação do serviço previam pagamento de R$ 2,25 por quilômetro percorrido, o que, de acordo com denúncia apresentada ao TCM por Afonso Henrique Cordeiro Araújo, cidadão do município, daria o total de R$ 225, já os veículos com os corpos teriam percorrido pouco mais de 100 quilômetros. O ex-prefeito Gildo Bispo pagou R$ 800 no primeiro caso, e R$ 500 no segundo.

O conselheiro José Alfredo Rocha Dias, que relatou o processo, determinou o ressarcimento aos cofres municipais de R$ 1075, que foram pagos a mais. A determinação, aprovada pela unanimidade dos conselheiros presentes à sessão, teve também parecer favorável do Ministério Público de Contas.