Publicado em 05/12/2018 às 16h40.

Ex-secretária municipal é mais uma vez denunciada por organização criminosa

Juliana Paes, o marido e mais cinco pessoas são acusados de cobrar propinas de empresas e investidores interessados em empreendimentos imobiliários

Rayllanna Lima
Foto: Reprodução/Jornal Grande Bahia
Foto: Reprodução/Jornal Grande Bahia

 

A ex-secretária municipal de Desenvolvimento Urbano de Camaçari Juliana Paes foi mais uma vez denunciada pelo Ministério Público estadual sob acusação de improbidade administrativa e de comandar uma organização criminosa no município.

Junto com seu marido, Aridã de Souza Carneiro, e mais cinco pessoas – a maioria servidores públicos municipais, a então gestora cobrava propinas de empresas e investidores interessados na aprovação de empreendimentos imobiliários de médio e alto luxo em Camaçari.

A denúncia foi protocolada pelo promotor de Justiça Everardo Yunes. Segundo ele, o marido da ex-secretária mantinha dentro da secretaria uma sala na qual recebia empresários para negociar a expedição de alvarás, se apresentando como servidor público.

Os alvarás para as construções imobiliárias eram concedidos sob contrapartida de pagamentos de propina. Em alguns casos, o valor negociado teria chegado a R$ 150 mil.

No entendimento do juiz César Borges de Andrade, que recebeu a ação, o MP apresentou “indícios contundentes da prática de improbidade administrativa”.

Além de Juliana Paes e Aridã Carneiro, são réus os servidores Heverton Andrade Ferreira, Epaminonda Lázaro Pereira Daltro, Ricardo Assis de Sá e Marcelo Soares Nascimento e o engenheiro ambiental Carlos Jean Santos Souza.