Publicado em 04/02/2019 às 16h55. Atualizado em 04/02/2019 às 18h44.

Funcionários da Bomix paralisam atividades

Ato ocorreu em protesto contra demissões e “práticas de assédio”, segundo sindicato

Redação
paralisacao bomix foto divulgacao sindiquimica
Foto: Divulgação / Sindiquímica

 

Funcionários da Bomix, produtora de embalagens plásticas, interromperam as atividades nesta segunda-feira (4), em Simões Filho, em protesto contra demissões e “práticas de assédio”, de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Química, Petroquímica, Plástica, Farmacêutica do Estado da Bahia (Sindiquímica).

Segundo a entidade, aproximadamente 400 trabalhadores aderiram à paralisação.

Na última sexta-feira (1º), o diretor do sindicato Otacílio dos Santos Filho foi demitido da empresa. O Sindiquímica argumenta que ele possui estabilidade por ser dirigente sindical.

Os funcionários alegam também a existência de práticas de assédio moral e perseguições, mas não foram especificados casos.

Por meio de nota, o grupo Bomix disse respeitar o direito de livre manifestação do sindicato, “porém repudia a prática de atos que impedem o acesso às dependências da empresa e o livre exercício do trabalho por parte daqueles que não desejam aderir ao movimento”.

A empresa afirmou ainda que a demissão de Otacílio é respaldada por decisão judicial proferida em abril do ano passado pelo juiz Marco Antônio Mendonça do Nascimento, da 24ª Vara do Trabalho de Salvador.

“O magistrado definiu os profissionais que possuem estabilidade por serem membros da diretoria sindical, entre os quais não está o nome do ex-colaborador”, diz a nota.

A Bomix informou que não recebeu detalhamento das alegações de assédio moral, “mas refuta veementemente qualquer conivência com a prática, que atenta contra os valores do Grupo expressos no seu Manual de Ética e Conduta”.