Publicado em 20/12/2017 às 18h55.

Herzem Gusmão afirma que policlínica ‘não interessa’ ao município

Prefeito negou politização e disse que a cidade não vai "dobrar os joelhos" com "ameaça descabida" da Sesab de deixar população do município sem atendimento na unidade

Rodrigo Aguiar
Foto: Reprodução/ Instagram
Foto: Reprodução/ Instagram

 

O prefeito de Vitória da Conquista, Herzem Gusmão (PMDB), confirmou ao bahia.ba, nesta quarta-feira (20), que o município não fará parte do consórcio de prefeituras da região para a implantação da policlínica do governo do Estado.

O peemedebista ainda acusou a administração estadual de querer “retaliar” a população da terceira maior cidade da Bahia com uma “ameaça descabida”.

De acordo com a assessoria da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), caso Conquista ficasse fora do consórcio, seus habitantes não poderiam utilizar os serviços da unidade de saúde.

“Se o governo entra com 40% [do custeio mensal da policlínica], Conquista não é Bahia? Vai para outro território? Ele [Rui Costa] vai retaliar? É descabida essa ameaça. E Conquista não vai dobrar os joelhos”, declarou Herzem.

O gestor municipal ainda citou o artigo 196 da Constituição, segundo o qual “a saúde é direito de todos e dever do Estado”.

Ao explicar as razões de não querer integrar o consórcio da região, o peemedebista negou que haja uma motivação política. “A prova de que não queremos partidarizar essa questão é de que a nossa secretária [da Saúde], a Dra. Ceres Almeida, pertence à Sesab. Eu estive com o dr Fábio [Vilas-Boas, secretário estadual da Saúde] e pedi a liberação dela”, exemplificou.

Segundo o prefeito, o governo não deu a Vitória da Conquista “o direito de designar o gestor” da policlínica.

No modelo das policlínicas, o governo banca 40% dos custos mensais e os municípios consorciados, 60%. Conforme Herzem, no caso da referida unidade, a prefeitura conquistense seria responsável por “mais de 50%” do valor referente às cidades da região.

“Conquista já tem sua policlínica, que atende duas mil pessoas por dia, sendo 700 no Cemae e 1,3 mil na rede credenciada. Todo serviço que essa policlínica do governador oferece, os exames que ele oferece, a nossa policlínica oferece diretamente ou na rede credenciada”, afirmou o peemedebista.

O prefeito ainda disse que não faria “coro” à “campanha antecipada” e “showmício”, em referências às inaugurações semanais de policlínicas feitas pelo governador Rui Costa (PT).

Na próxima sexta-feira (22), o petista vai inaugurar a policlínica de Jequié e, em seguida, viaja a Conquista para assinar protocolo de intenções com prefeitos que formarão o Consórcio Público de Saúde da Região de Vitória da Conquista e Itapetinga.