Publicado em 26/05/2019 às 16h30.

Alberto Pimentel repudia informações sobre demissão da Semtel e boicote a trios

Secretário falou que decisões foram técnicas

Redação
Foto: Reprodução / Instagram
Foto: Reprodução / Instagram

 

O secretário-geral do PSL na Bahia, Alberto Pimentel, negou em nota enviada à imprensa por sua assessoria de imprensa a informação de que ele pediria demissão do cargo de secretário municipal de Trabalho, Esportes e Lazer em Salvador (Semtel) se fosse liberada a participação de outros trios além do cedido ao Movimento Salvador Direita pela Associação Bahiana de Trios Independentes nas manifestações pró-Bolsonaro na Barra.

“Não sei quem plantou esse tipo de informação, que é uma clássica fake news, com a nítida intenção de tirar o brilho do movimento de hoje. Jamais falaria isso ao prefeito ACM Neto, que tem todo interesse em ver progredir o governo de Jair Bolsonaro”, salientou Alberto Pimentel.

Ele reiterou a informação que deu aos jornalistas presentes neste domingo na Barra: “A decisão de liberar ou não o trio pela Prefeitura foi técnica. Quando ingressei na Semtel, ressaltei que não adotaria decisões políticas na gestão”.

O secretário Alberto Pimentel ressaltou que há prazos para dar entrada em documentações e pedir liberação para eventos. “Os trios que foram retirados foi porque os grupos responsáveis deram entrada de forma errada, no prazo errado. Queriam que eu interferisse no andamento normal dos prazos e agisse politicamente quando devo agir tecnicamente?”, questionou.

Pimentel também informou que o trio no qual ele, a deputada federal Professora Dayane Pimentel, os deputados estaduais Pastor Tom e Capitão Alden e o vereador Alexandre Aleluia (DEM) não foi alugado pelo PSL baiano. O trio foi cedido pela Associação Bahiana de Trios Independentes ao Movimento Salvador Direita.

PUBLICIDADE