Publicado em 18/10/2018 às 11h45.

Assembleia espera definição presidencial de lá para tocar outra bem modesta, a dela

No meio do tititi, as especulações sobre o herdeiro da era Coronel: quem será o próximo presidente?

Levi Vasconcelos

Frase da vez

“O mais importante da vida não é a situação em que estamos, mas a direção para a qual nos movemos”

Oliver Wendell Holmes, jurista e filósofo norte-americano (1841-1935)

Foto: Josemar Pereira/ Ag. Haack/ bahia.ba
Foto: Josemar Pereira/ Ag. Haack/ bahia.ba

 

Com a maioria dos governistas festejando os seus feitos nas urnas e os oposicionistas que se reelegeram, como Alan Sanches (DEM), soltando foguetes porque sobreviveram ‘ao tsunami’, a Assembleia vai aos poucos retomando suas rotinas.

No cardápio de ontem, por exemplo, estava dito que Rui Costa vai ter problemas financeiros no fim do ano, em dois flancos: um na própria Assembleia e outro no Judiciário, ambos sem dinheiro para pagar o 13º salário, batendo na porta do governo, que não tem.

Presidência

Se disse que para tirar a Alba do sufoco financeiro seria necessário demitir os 600 Redas da casa, embora alguns lembrando que Angelo Coronel, o presidente, como senador eleito, está proibido, por lei, de contratar ou demitir três meses antes e três depois das eleições.

No meio do tititi, as especulações sobre o herdeiro da era Coronel: quem será o próximo presidente?

Rosemberg Pinto (PT) quer, mas tem resmungos. Há quem diga que o PT de Rui deve partilhar com os seus aliados principais, o PSD de Otto Alencar e o PP de João Leão. No primeiro caso os nomes seriam Adolfo Menezes ou a deputada Ivana Bastos, com o discurso de que seria a primeira mulher. E no segundo, o deputado Nelson Leal. Correndo bem por fora, Alex Lima, do PSB de Lídice, se der. Ainda é especulação, mas depois da definição do affair entre Bolsonaro e Fernando Haddad, o barco anda.

Levi Vasconcelos

Levi Vasconcelos é jornalista político, diretor de jornalismo do Bahia.ba e colunista de A Tarde.