Publicado em 26/07/2017 às 16h12.

Bebeto evita colar com Rui e cogita dobradinha com Prates

O bahia.ba apurou que o deputado federal poderá deixar o PSB para ingressar no Solidariedade, partido comandado por Paulinho da Força Sindical, à qual ele é filiado

Evilasio Junior
bebeto_galvao
Foto: Ananda Pimentel / Câmara dos Deputados

 

Após as especulações de que o prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo, e o presidente da Câmara de Vereadores de Salvador, Leo Prates, ambos do DEM, poderiam migrar para o PSB, o que gerou inclusive uma coletiva da direção estadual do partido, o deputado federal Bebeto Galvão evitou, em entrevista ao bahia.ba, nesta quarta-feira (26), garantir que estará com o governador Rui Costa em 2018.

Perguntado se ele, pessoalmente, permaneceria no grupo do petista na próxima eleição, mesmo que a senadora Lídice da Mata dispute uma vaga na Câmara – o que, em tese, dificultaria a sua caminhada –, o parlamentar tergiversou.

“Do ponto de vista político, esse ano é de trabalho para todos que têm cargos públicos. […] Tratar antecipadamente da eleição seria extemporaneidade. […] O próprio governador e o próprio prefeito ACM Neto dizem que não querem tratar de eleição este ano. Se eles que são os gestores dizem isso, sou eu, que sou candidato a deputado federal, que vou tratar do assunto?”, indagou o socialista, que no contato anterior com a imprensa não fez qualquer menção sobre qual seria o seu posicionamento no próximo ano.

Na eleição municipal de Ilhéus, em 2016, Bebeto foi candidato a prefeito em uma chapa com os oposicionistas PMDB e DEM, após ter negado o seu apelo de contar com o PT, que preferiu lançar uma postulante própria, Carmelita, sem qualquer aliança. Ambos foram derrotados – Bebeto em 3º, com 12,3 mil votos, e a petista em 6º, com 3,3 mil – bem atrás do vencedor Mário Alexandre, o Marão (PSD), que obteve mais de 36 mil votos em uma coligação com PSL, PTB, Rede e PTdoB.

Na ocasião, enquanto houve rusga entre o partido do governador e o deputado, Leo Prates foi fundamental para levar a ele o apoio do DEM. Hoje, se Bebeto trata do assunto Rui de forma evasiva, quando o tema é uma possível “dobradinha” com o vereador soteropolitano – na teoria de que irá postular a Assembleia Legislativa – a hipótese não é refutada.

“No caso de Ilhéus, a composição política nos permitiu uma composição que operou uma aliança política no formato que se desenhou. Eu tenho absoluto respeito a Leo. Ele foi a Ilhéus e declarou publicamente o seu apoio, sem qualquer exigência de contrapartida, e teve uma contribuição importante no processo. É meu amigo pessoal: um jovem intrépido e respeitado. Presidente da Câmara com uma trajetória política pessoal e não há nenhuma dificuldade em dialogar, pelo respeito que eu nutro pessoalmente a Leo, como homem e político”, exaltou, ao pontuar que “se ele desejar vir para o PSB será fruto de um exame da executiva estadual do partido”.

O bahia.ba apurou que não está descartada a possibilidade de o congressista deixar a legenda socialista para ingressar no Solidariedade. Perguntado sobre o assunto, o deputado voltou a sofismar.

“Eu tenho que te dizer que o conjunto de especulações que se estabelece não deve ser parte de especulação. Há coisas que ficam no plano da ilação política. Não tem política real. Estou tratando como ilações políticas que fazem parte do mundo natural jornalístico. Eu não posso coadunar com a tua pergunta, até porque, sob o ponto de vista eleitoral, ninguém pode ter certeza de nada. Há uma nuvem densa que paira sobre a política, que não dá segurança a ninguém sobre a certeza do futuro”, elucubrou.

O SD é nacionalmente comandado pelo também parlamentar federal Paulinho da Força Sindical, entidade à qual Bebeto é filiado. Na Bahia, a sigla faz oposição a Rui e ao PT.

PUBLICIDADE

Mais notícias