Publicado em 12/12/2017 às 12h40.

Comitê do Banco Central diz que redução de juros depende de reformas

Em última reunião do Copom, taxa Selic foi reduzida de 7,5% para 7%. Mercado espera que nova queda aconteça em fevereiro de 2018

Redação
Foto: BC/Divulgação
Foto: BC/Divulgaçãoic

 

A taxa Selic poderá ter nova queda em fevereiro, segundo ata divulgada, nesta terça-feira (12), da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

A expectativa do mercado é de que a taxa caia de 7% para 6,75% ao ano. Porém, o comitê afirmou que a continuidade da redução depende da aprovação das reformas em andamento propostas pelo governo Temer.

Este foi o último encontro do ano do Copom, que definiu a redução do juro básico da economia de 7,5% para 7%, a taxa mais baixa da história do Banco Central, desde o início de 1986, de acordo com o G1.

Apesar dos bons indícios que podem apontar para um novo corte de juros em 2018, integrantes do comitê afirmaram que o risco atual recai em cima das reformas. O Copom admite “frustração” caso as propostas do governo não sejam aprovadas.

Nesta caso, o Banco Central não descartaria uma nova subida da taxa Selic no próximo ano. Em nota, o Copom disse que a política monetária “tem flexibilidade para reagir” para “ambos os lados”, inclusive dentro de um contexto que apresente o “risco de um revés no cenário internacional num contexto de frustração das expectativas sobre as reformas e ajustes necessários”.

PUBLICIDADE