Publicado em 16/04/2018 às 17h31.

Dodge: ‘Não há sentido no foro privilegiado’

Procuradora-geral da República voltou a defender a possibilidade de executar pena de prisão após condenação em segunda instância

Redação
Foto: Divulgação/ANPR
Foto: Divulgação/ANPR

 

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirmou nesta segunda-feira (16) que “não há qualquer sentido” na existência do foro privilegiado e voltou a defender a possibilidade de executar pena de prisão após condenação em segunda instância.

Conforme Dodge, o foro privilegiado gerou um sistema em que há “apropriação de recursos públicos, corrupção generalizada e enraizada nas nossas estruturas de poder”.

“Nos acostumamos a um modelo em que a autoridade do juiz e do tribunal de segunda instância era muito fragilizada em um sistema de quatro instâncias. Ficava-se sempre aguardando a resposta de cortes superiores”, declarou a procuradora-geral da República, em palestra na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.