Publicado em 22/05/2019 às 21h20.

Edvaldo: Câmara ofenderá a Constituição se não votar Estatuto da Igualdade Racial

Prevista para esta quarta, votação do estatuto foi adiada novamente após resistência da bancada evangélica

Redação
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ bahia.ba
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ bahia.ba

 

O vereador Edvaldo Brito (PSD) cobrou nesta quarta-feira (22) na tribuna a aprovação do Estatuto da Igualdade Racial, que já se arrasta por 13 anos na Câmara Municipal.

O projeto estava previsto para ser votado nesta quarta, mas novamente foi adiado por conta de um pedido do vereador Luiz Carlos, da bancada evangélica, como revelou o bahia.ba nesta manhã.

No seu pronunciamento, Brito lembrou que a sua luta pela igualdade vem de décadas e cita um fato marcante: foi dele o decreto, quando era secretário de Justiça e assinado pelo governador Roberto Santos, que isentou os terreiros de candomblé da necessidade de autorização policial para bater os tambores.

“Esta Casa, se não votar esse Estatuto, ofende a Constituição Federal, que manda que o negro tenha um tratamento diferenciado legitimado pelo artigo terceiro, e a Constituição Estadual determina que o Estado, apesar de laico, não deixe de proteger esses negros sofridos, como eu, que tive de viver na cozinha dos outros. Eu não entendo porque essa resistência”, destacou o vereador.

PUBLICIDADE