Publicado em 15/05/2019 às 16h57.

Em nota, PSL Bahia chama de ‘infundada’ denúncia sobre candidatura laranja

Alberto Pimentel diz que argumentos de vereador de Vitória da Conquista são "falaciosos e contraditórios"

Redação
Foto: Reprodução / Instagram
Foto: Reprodução / Instagram

 

Após a publicação da denúncia apresentada pelo vereador de Vitória da Conquista David Salomão (PRTB) contra o PSL baiano, o acusando de lançar candidatura laranja na eleição de 2018, o secretário-geral do PSL na Bahia, Alberto Pimentel, chamou a queixa de “completamente infundada”.

Para ele, ainda que a candidatura de Luiza Caroline Barbosa fosse “de fachada”, “ainda assim seria cumprida a cota. Ou seja, tivemos apenas 4 candidatos, 2 homens e 2 mulheres. Se tirássemos uma mulher, ainda assim a cota estaria dentro dos 30%”.

Ainda no comunicado, o secretário sustenta que os argumentos apresentados por Salomão são “falaciosos e contraditórios”.

“Se a citada na matéria Luiza Caroline veio a ser candidata e viajou para os EUA depois que registrou candidatura, não avisando ao TRE e ao PSL, só posso dizer que as pessoas são livres. Ela investiu pouco mais de mil reais do próprio dinheiro e obteve cerca de 600 votos, o que pode ser verificado por qualquer cidadão em consulta ao site da Justiça Eleitoral”, diz Alberto.

O titular da Secretaria Municipal de Trabalho, Esportes e Lazer (Semtel) também garante que até o momento o PSL Bahia não foi notificado por conta da denúncia.

“Quanto ao vereador David Salomão, de Vitória da Conquista, ele foi derrotado na coligação por Dayane e ficou na segunda suplência. Ele quer somente aparecer à custa de ataques infundados à Deputada Professora Dayane Pimentel”, acrescenta a nota.

Confira na íntegra:

Foi veiculada nesta quarta-feira (15) uma denúncia completamente infundada de uma suposta infração de cota feminina de 30% pelo PSL nas eleições de 2018. Ora, se essa candidatura para deputada federal fosse falsa – segundo citado em matéria veiculada hoje pelo site Bahia.ba – ainda assim seria cumprida a cota. Ou seja, tivemos apenas 4 candidatos, 2 homens e 2 mulheres. Se tirássemos uma mulher, ainda assim a cota estaria dentro dos 30%, pois nossa candidata eleita foi a presidente do PSL na Bahia, a Deputada Professora Dayane Pimentel.

Durante a campanha, atacaram-nos, dizendo que havíamos cortado candidaturas femininas para Dayane ser a única candidata. Agora nos atacam covardemente dizendo que colocamos candidaturas falsas. São argumentos falaciosos e contraditórios. Para fazer sentido, a acusação teria que ser uma coisa ou outra, correto? Por fim, se a citada na matéria Luiza Caroline veio a ser candidata e viajou para os EUA depois que registrou candidatura, não avisando ao TRE e ao PSL, só posso dizer que as pessoas são livres. Ela investiu pouco mais de mil reais do próprio dinheiro e obteve cerca de 600 votos, o que pode ser verificado por qualquer cidadão em consulta ao site da Justiça Eleitoral.

O objetivo dos que conspiram contra nós é levantar o máximo de factóides para tentar colar a nossa imagem às denúncias que houve em outros estados de supostas candidaturas que receberam recurso financeiro e que não fizeram campanha.

Saliento que eu, Alberto Pimentel, fui o coordenador da campanha do PSL e fizemos tudo como a lei manda. Repito que não enviei recurso financeiro para essa candidata e que também não tínhamos condições para rastrear os passos dos candidatos. Também saliento que a Executiva Estadual do PSL não foi notificada, até o momento, a respeito da suposta denúncia.

Quanto ao vereador David Salomão, de Vitória da Conquista, ele foi derrotado na coligação por Dayane e ficou na segunda suplência. Ele quer somente aparecer à custa de ataques infundados à Deputada Professora Dayane Pimentel. Como se diz popularmente, “está buscando cabelo em ovo”. Recordo que o vereador já responde a processos por ofensas e calúnias dirigidas à presidente estadual do PSL na Bahia e a mim.

Temas: psl bahia