Publicado em 04/12/2018 às 12h48.

Enfim, a reforma de Rui quer poupar 400 milhões. Vai deixar muitas vítimas

"No início do meu primeiro governo fiz a mesma coisa. Foi o que nos garantiu a governabilidade"

Levi Vasconcelos

Frase da vez

“O sacrifício é uma virtude sempre admirável. Nos outros”

Enrique Poncela, escritor espanhol (1901-1952)

Foto: Paula Froes/ GOV BA
Foto: Paula Froes/ Gov-BA

 

Rui Costa espera poupar algo em torno de R$ 400 milhões com o pacote da reforma que mandou para a Assembleia. É um bom dinheiro, que segundo ele, vai ajudar a manter a governabilidade, já que os analistas projetam 2019 como um ano em que a economia ainda permanecerá devagar.

— No início do meu primeiro governo fiz a mesma coisa. Foi o que nos garantiu a governabilidade.

O problema disso é que muita gente perde o emprego. Segundo Rui, boa parte é de aposentados. Mas nem só.

Veja alguns pontos citados na visão de Rui.

Conder

— Tivemos que tomar uma providência. Muitos aposentados vão à justiça brigar pelo direito de continuar na ativa, mesmo aposentados. E ganham. É preciso oxigenar a máquina.

Aposentados

— Nunca houve a preocupação de fazer a poupança dos aposentados. 30 anos atrás, se arrecadava e o governo botava o dinheiro no caixa. Resulta no déficit que temos, de R$ 4 bilhões este ano que pode chegar a R$ 8 bilhões em 1922. A proposta de aumento da contribuição previdenciária (de 12 para 14%) vários estados já fizeram.

Injustiças

Falando sobre decisões judiciais contra o Estado da Bahia:

— Imagine você que cinco PMs professores entraram na justiça em 1998 cobrando a diferença de horas de ensino. Isso dá R$ 80 milhões, uma estupidez. E quem paga é o povo. Estamos criando uma sociedade de saqueados.

No CIS, velório

Foi de velório o clima ontem na administração do Centro Industrial do Subaé (CIS), cujo anúncio da extinção foi sacramentado pelo governador Rui Costa. Os cerca de 30 funcionários que lá trabalham, estavam tristes.

O prefeito Colbert Martins (MDB) não gostou. Lembra que o CIS foi criado em 1983 com 2.500 funcionários e 200 empresas. ‘É o canal de interlocução, Não acabar assim, de forma abrupta, com uma só canetada”.

Levi Vasconcelos

Levi Vasconcelos é jornalista político, diretor de jornalismo do Bahia.ba e colunista de A Tarde.