Publicado em 16/05/2018 às 11h47.

Fábio Mota procura jornalistas para enfrentar as redes na guerra do BRT

Seja como for, a campanha contra o BRT conta com peças publicitárias bem elaboradas distribuídas nas redes

Levi Vasconcelos

Frase da vez

“Quem não gosta de polêmicas ou é mentiroso ou um monotomaníaco de primeira”

Miguel Esteves Cardoso, jornalista e escritor português (1955).

Foto: Inacio Teixeira/ Secom
Foto: Inacio Teixeira/ Secom

 

O secretário Fábio Mota, da Mobilidade, iniciou um périplo pelos veículos de Comunicação de Salvador para ‘vender’ o BRT. Ou melhor, deflagrar uma estratégia de enfrentamento contra a forte campanha que alguns segmentos estão fazendo contra, tendo como palco principal as redes sociais.

Mota elenca uma série de pontos para tentar convencer os ouvintes que após sucessivos estudos concluiu-se que o BRT é a melhor opção, com conforto e flexibilidade, o que vai interconectar toda a Salvador com sete linhas.

Do ponto de vista ambiental, ele fala que a alegada derrubada de mais de 500 árvores não é bem assim.  São 134. E citou um lado da polêmica instigante: com BRT ou com trilhos de metrô ou VLT, as árvores cairão do mesmo jeito.

— A questão é que a área em discussão não tem espaço para colocarmos estações com espaço de manobra para o metrô, para trilhos, os maiores interessados da mudança.

Seja como for, a campanha contra o BRT conta com peças publicitárias bem elaboradas distribuídas nas redes.

Ou seja, alguém está gastando dinheiro com isso.

Levi Vasconcelos

Levi Vasconcelos é jornalista político, diretor de jornalismo do Bahia.ba e colunista de A Tarde.