Publicado em 10/01/2019 às 17h10.

Isidório sugere criação da Secretaria Estadual da Família

Proposta foi apresentada à Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), da qual o parlamentar está de saída para assumir uma vaga na Câmara Federal

Redação
Foto: Matheus Morais/bahia.ba
Foto: Matheus Morais/bahia.ba

 

O deputado estadual Pastor Sargento Isidório (Avante) apresentou ao governador Rui Costa a sugestão da criação de uma Secretaria Estadual da Família na Prevenção, Proteção e Tratamento das Dependências Químicas. A proposta foi apresentada à Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), da qual o parlamentar está de saída para assumir uma vaga na Câmara Federal. Ele é ligado à Fundação Dr. Jesus, que oferece cuidados a dependentes químicos, na cidade de Candeias.

Na sugestão, Isidório criticou a suposta mutilação da sociedade por conta do desrespeito à “família”. “Hoje o que mutila a sociedade é o desrespeito à família e o acentuado enfraquecimento do tecido social, com a negação dos seus valores. Precisamos mudar esta realidade”, diz o deputado.

Conforme o deputado, a Secretaria da Família seria de fundamental importância para a incorporação de políticas públicas, incluindo direitos e deveres na sociedade, para combater qualquer tipo de discriminação.

O órgão deveria implantar também políticas contra a pedofilia, intolerância religiosa e violência contra as mulheres.

“É importante formular políticas públicas que tenham como finalidade promover a defesa dos valores da família e a satisfação de suas necessidades, como educação, emprego, saúde, moradia, segurança e lazer, protegendo seus valores, atendendo aquilo que lhe é necessário para seu pleno desenvolvimento”, afirma o texto.

Suspeitas – A Fundação Dr. Jesus, mantida pelo deputado, é alvo de investigação pelo Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), que já recomendou que menores não sejam encaminhados à entidade. Ele mesmo já admitiu ao bahia.ba que não consegue adequar o estabelecimento ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

A entidade recebeu, segundo dados oficiais, R$ 12,37 milhões desde o começo do governo Rui Costa.

PUBLICIDADE