Publicado em 19/05/2017 às 15h18.

Joesley relata ‘mesada’ a Marta e conta ‘emprestada’ a Vaccari

Em delação premiada, dono da JBS diz que ex-tesoureiro do PT "tinha pagamentos a receber do exterior, e que não tinha para onde mandar"

Rodrigo Aguiar

A senadora Marta Suplicy (PMDB) recebeu repasses mensais de R$ 200 mil para a sua campanha à prefeitura de São Paulo, em 2016, segundo depoimento de delação de Joesley Batista, um dos donos da JBS.

De acordo com o empresário, foram pagas aproximadamente 15 parcelas, durante pouco mais de um ano. Batista relatou que o marido da senadora, Márcio Toledo, era o responsável por receber o dinheiro.

O proprietário da JBS declarou ainda que conheceu Marta em 2010, quando ela ainda estava no PT. Na época, foi feita uma doação de R$ 1 milhão para a sua campanha ao Senado, segundo Batista.

“Agora, recentemente, vendo os nossos documentos, eu fiquei sabendo que R$ 500 mil foi feito em dinheiro, não sabia disso. Achei que seria tudo oficial”, disse o empresário.

Vaccari – Ainda em seus depoimentos de delação, Batista disse que deixou uma conta nos Estados Unidos à disposição de João Vaccari, ex-tesoureiro do PT, para a movimentação de recursos.

“Um dia, o João me abordou e disse que, volta e meia, tinha pagamentos a receber do exterior, e que não tinha para onde mandar. Ele perguntou: ‘você não quer receber e, quando eu precisar, você fazer uns pagamentos para mim’? […] Tem o extrato, com as entradas e saídas”, relatou.