Publicado em 11/01/2017 às 15h40.

Justiça bloqueia até R$ 4 mi do ministro Blairo Maggi e mais 8

Em nota à imprensa, o ministro disse ter ficado surpreso com a decisão, pois não houve nenhum fato novo no processo que tramita na esfera federal

Redação
Ministro da Agricultura Blairo Maggi (Valter Campanato/Agência Brasil)
Ministro da Agricultura Blairo Maggi (Valter Campanato/Agência Brasil)

 

A Justiça de Mato Grosso determinou, nesta terça-feira (9), o bloqueio de até R$ 4 milhões em bens do ministro da Agricultura, Blairo Maggi. Além dele, outras oito pessoas também foram acusadas de usar dinheiro público para comprar uma vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) para beneficiar o ex-deputado estadual Sérgio Ricardo – que também é réu na ação.

Em nota à imprensa, o ministro disse ter ficado surpreso com a decisão, pois não houve nenhum fato novo no processo que tramita na esfera federal, no qual era investigado pela mesma nomeação. “Estou pronto para prestar todos os esclarecimentos à Justiça e, recorrer da medida, por entender não ter sido justa a decisão proferida, ainda que liminarmente”, declarou.

Além de Blairo Maggi, o bloqueio atinge Sérgio Ricardo, Alencar Soares, o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) preso desde 2015, o ex-conselheiro do TCE-MT e ex-deputado, Humberto Bosaipo, o ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), José Geraldo Riva, o empresário Gércio Marcelino Mendonça, o Júnior Mendonça, Leandro Valoes Soares, filho de Alencar Soares, e o ex-secretário de estado, Eder Moraes.

A decisão tem caráter liminar e é cabível de recurso.

Mais notícias