Publicado em 17/04/2019 às 11h53.

Marcelo Odebrecht teme que crise entre Poderes afete seu acordo de delação

A partir deste mês, o empreiteiro pode pleitear a redução, pela metade, do seu tempo de prisão em regime domiciliar

Redação
Foto: Reprodução/ Agência Brasil
Foto: Reprodução/ Agência Brasil

 

Pivô da crise instaurada entre o Supremo Tribunal Federal (STF) e a Procuradoria-Geral da República (PGR), Marcelo Odebrecht teme que a briga atrapalhe seu acordo de delação premiada, informa a colunista Bela Megale, de O Globo. Segundo a publicação, a partir deste mês, o empreiteiro pode pleitear a redução, pela metade, do seu tempo de prisão em regime domiciliar.

A cláusula, que só existe na negociação do herdeiro da Odebrecht, prevê que ele possa diminuir o tempo de reclusão em casa, de dois anos e seis meses para um ano e três meses, destaca a coluna. Se conseguir o benefício, Marcelo terá permissão de sair de casa durante o dia, voltando ao recolhimento à noite e nos fins de semana.

Com a crise gerada após a revista Crusoé publicar um documento em que o próprio executivo cita o codinome do ministro Dias Toffoli em trocas de e-mail da empresa, a avaliação é a de que, nem a Procuradoria, nem o Supremo vão atender, por ora, o pedido. Apesar da ansiedade de Marcelo de sair de casa, a solicitação da sua defesa deve ficar na gaveta até a poeira baixar.