Publicado em 08/11/2018 às 17h40.

Moro defende regras mais ‘duras’ para sistema prisional

Na opinião do juiz federal, que está de férias para tratar da transição, pessoas que cometeram homicídios, por exemplo, deixam a cadeia antes do tempo

Redação
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

 

O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, defendeu, em coletiva de imprensa  com o atual chefe da pasta, Torquato Jardim, nesta quinta-feira (8), que as regras do sistema prisional devem ser mais duras.

Na opinião do juiz federal, que está de férias para tratar da transição, pessoas que cometeram homicídios, por exemplo, deixam a cadeia antes do tempo que ele acha que elas deveriam cumprir pena.

“Evidentemente, a questão carcerária é um problema e nós estamos refletindo sobre ela da forma mais apropriada. É necessário ampliar vagas, é necessário eventualmente ter um filtro melhor. Agora é inequívoco que existe no sistema carcerário um tratamento leniente para crimes praticados com extrema gravidade, no caso de homicídio qualificado, de pessoas que ficam poucos anos presos em regime fechado. Para esse tipo de crime, tem que haver um endurecimento”, afirmou aos jornalistas.