Publicado em 22/01/2019 às 22h00.

Mourão sobre acusações a Flávio Bolsonaro: ‘É um fato que não nos interessa’

Além das investigações por manifestações atípicas financeiras, o filho do presidente Jair Bolsonaro também está sendo associado a casos de milícias

Redação
Foto: Reprodução/Jornal GGN
Foto: Reprodução/Jornal GGN

 

Presidente em exercício, Hamilton Mourão minimizou nesta terça-feira (21) a relevância dos escândalos envolvendo o filho de Jair Bolsonaro, o deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

Para Mourão, o único problema de Flávio, é o sobrenome dele, não as investigações por movimentações financeiras atípicas envolvendo também seu ex–motorista e ex-assessor, Fabrício Queiroz.

“O único problema do senador Flávio é o sobrenome dele. Se fosse Silva…”, disse, ressaltando ainda que há outros parlamentares da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) sendo investigados pelo mesmo motivo.

Mourão voltou a negar, inclusive, que o assunto respinga no governo. “Não compete a mim analisar. O governo está tranquilo, esse não é um fato que nos interesse por enquanto. Quando passar a interessar aí será divulgado o que for necessário”, disse.
Além das denúncias no relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), na manhã desta terça, ocorreu uma operação do Ministério Público e da Polícia Civil do Rio de Janeiro que prendeu cinco suspeitos de integrar uma milícia que age em grilagem de terras e procura por mais oito envolvidas no esquema. Entre elas, está o ex-capitão Adriano Magalhães da Nóbrega, filho e esposo de duas mulheres que foram funcionárias de Flávio na Alerj.

 

PUBLICIDADE