Publicado em 07/12/2017 às 15h52.

Muniz promete levar ‘todo mundo’ do PHS se não chegar a um acordo

Ex-presidente estadual da sigla disse que espera “uma decisão nacional” do partido para definir futuro

João Brandão / Alexandre Galvão
Foto: Alexandre Galvão / bahia.ba
Foto: Alexandre Galvão / bahia.ba

 

Ex-presidente estadual do PHS na Bahia e aliado do prefeito ACM Neto (DEM), Júnior Muniz prometeu levar “todo mundo” do partido, incluindo os quatro vereadores de Salvador (Cátia Rodrigues, Igor Kannário, Isnard Araújo e Téo Senna), prefeitos, vices, além de outros edis pelo estado, caso não chegue a um acordo com a sigla.

De acordo com Muniz, tudo depende de uma decisão nacional. “O presidente atual nacional, Eduardo [Machado] está por uma liminar. Tem um processo em trâmite no TSE. Acredito que nos próximos dias resolvemos isso. Se [Luiz] França voltar ao comando, nós seremos reconduzidos ao comando do PHS”, afirmou, ao bahia.ba, na tarde desta quinta-feira (7).

Se o TSE mantiver Machado na presidência, Muniz garante que irá conversar com Edson Pimenta, atual presidente estadual da sigla e aliado governador Rui Costa (PT). “Se não chegarmos a um acordo com ele, que é um cara bom, o partido está disposto a vir com a gente. Estamos sendo habilidosos nessa discussão”, pontuou.

“Hoje o partido está com amigo meu [Edson Pimenta], que tem me chamado para compor a direção estadual, assumindo, inclusive, a presidência municipal em Salvador. É uma coisa que estamos estudando, aguardando, para tomar decisão”, acrescentou Muniz, que deixou o comando do partido na Bahia em outubro, após ordem de Machado.

PUBLICIDADE
Temas: júnior muniz , phs