Publicado em 12/07/2019 às 16h35.

‘Não é nepotismo, jamais faria isso’, diz Bolsonaro sobre filho em embaixada

"Se eu vou indicá-lo ou não, aí eu vou esperar o momento certo. Quanto à crítica, não estou preocupado com crítica", afirmou presidente

Redação
Foto: Alan Santos/PR
Foto: Alan Santos/PR

 

O presidente Jair Bolsonaro negou que seja nepotismo uma possível indicação do filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), para ser embaixador do Brasil nos Estados Unidos.

“Alguns falam que é nepotismo. Essa função, tem decisão do Supremo, não é nepotismo. Jamais faria isso”, disse o chefe do Palácio do Planalto, durante transmissão no Facebook, em referência à súmula vinculante número 13, do Supremo Tribunal Federal (STF), de 2008.

Na ocasião, a Corte determinou a proibição de autoridades nomearem cônjuge ou parente até terceiro grau para cargos em comissão, de confiança ou função gratificada em qualquer dos Poderes, no nível municipal, estadual e da União.

O STF, entretanto, não especificou se a norma é válida para cargos de natureza política — como, por exemplo, ministros de Estado e embaixadores.

“Agora, se eu vou indicá-lo ou não, aí eu vou esperar o momento certo se vou ou não. Quanto à crítica, não estou preocupado com crítica”, acrescentou Bolsonaro, apesar de reclamar da cobertura de alguns veículos de comunicação “dando uma lenhadinha na gente”.

PUBLICIDADE