Publicado em 19/09/2017 às 09h52.

Neto confirma Barral na Educação e outras mudanças; confira os nomes

Virgílio Daltro assume Seman, Jr. Magalhães fica com a Diretoria de Iluminação, Ana Paula vai para o comando das Prefeituras-Bairro e Codesal ficará com Sósthenes Macedo

Evilasio Junior / Rodrigo Daniel Silva
Foto: Max Haack/ Secom PMS
Foto: Max Haack/ Secom PMS

 

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), confirmou as prometidas mudanças em sua equipe, em entrevista coletiva, na manhã desta terça-feira (19), durante a inauguração do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) do bairro de Valéria.

Como esperado, o ex-diretor de Iluminação Pública da Secretaria Municipal de Ordem Pública, Bruno Barral – indicado pelo deputado federal João Gualberto (PSDB) –, será o novo titular da Educação, em lugar de Paloma Modesto.

A sua vaga será assumida pelo coordenador-geral das Prefeituras-Bairro, Júnior Magalhães, que será substituído pela ex-subsecretária de Promoção Social e Combate à Pobreza, Ana Paula Matos, que chegou a assumir o comando da Semps interinamente.

Outra troca esperada, a de Marcílio Bastos da Manutenção, foi concretizada, devido à pressão do PRB, já que ele gozava de prestígio com o democrata e voltará a ser o presidente da Companhia de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Desal), enquanto a Seman ficará com Virgílio Daltro.

O prefeito admitiu ter conversado com o PRB, mas disse que a troca se deu devido a uma “decisão de fortalecer a Desal” e não por uma exigência da sigla aliada. “Na medida em que a empresa ganha força e musculatura, eu não conseguiria encontrar um nome melhor para assumir a presidência da empresa do que o nome de Marcílio Bastos. Uma pessoa que tem conhecimento, experiência e a capacidade de tocar os trabalhos que estão relacionados à Desal”, justificou.

Sobre a entrada de Virgílio, ele o classificou como um “quadro técnico extremamente experiente e qualificado”.

Já a Defesa Civil de Salvador, cujo ex-gestor Gustavo Ferraz foi preso ao lado do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) no escândalo das malas de R$ 51 milhões, ficará sob a batuta de Sósthenes Macedo, ex-chefe da área do Subúrbio Ferroviário.

Como antecipado pelo bahia.ba, os demais órgãos comandados pelo grupo do peemedebista não sofreram alterações.

Ao comentar as modificações no grupo, Neto disse que “o importante é que todos aqui trabalham com muito time. Não interessa em que campo está jogando, mas vestem a camisa. Eles vêm para aprimorar ainda mais o nosso trabalho”.

Segundo o prefeito, a entrada de Barral foi uma “escolha” dele, em que o convite teria ocorrido “há quase dez dias”. Ele disse que agradeceu “publicamente” ao trabalho de Paloma, “que foi convidada para trabalhar em uma em instituição superior fora da Bahia”.