Publicado em 12/07/2018 às 11h27.

Novo Horizonte paga o pato da Lei das Mulheres

A Justiça cassou cinco dos nove vereadores porque a coligação 'Pra fazer a Diferença', de 21 candidatos, teve cinco mulheres com zero voto

Levi Vasconcelos

Em 2004, quando se criou a lei que obriga os partidos a lançarem 30% de mulheres candidatas a vereadora, o TSE decidiu que, se não houvesse número suficiente de candidatas, se completariam as vagas com homens.

Em 2008, o TSE já orientou diferente. Se não tiver mulheres suficientes, as vagas ficariam sobrando. De 2012 em diante, a mesma lei já tinha nova direção: tinha que ter 100% de mulher.

Foi aí que começaram as candidaturas fajutas. Candidatas com zero voto chovem de ponta a ponta, mas quem pagou o pato foi Novo Horizonte, onde a Justiça cassou cinco dos nove vereadores porque a coligação ‘Pra fazer a Diferença’, de 21 candidatos, teve cinco mulheres com zero voto. Pagou o pato.

Levi Vasconcelos

Levi Vasconcelos é jornalista político, diretor de jornalismo do Bahia.ba e colunista de A Tarde.