Publicado em 12/10/2017 às 16h00.

Núcleo jurídico de vereadora em shopping levanta polêmica

Procurada pelo bahia.ba, Lorena Brandão afirmou que irá pedir que seu nome seja retirado do NPJ para evitar mais polêmica

Alexandre Galvão
Foto: Izis Moacyr/ bahia.ba
Foto: Izis Moacyr/ bahia.ba

 

Advogada e uma das administradoras da Faculdade Batista, a vereadora Lorena Brandão é “homenageada” com seu nome em Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ) no Salvador Norte Shopping, em Salvador.

A instalação da unidade – que antes funcionava na Faculdade – em um centro comercial levantou polêmica em grupos de advogados nas redes sociais. Lorena foi acusada por colegas de profissão de praticar “captação ilegal de clientes” e até de angariar votos com o “núcleo-loja”.

Pelo Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil (EOAB), “é vedado ao profissional utilizar publicidade profissional visando a captação de clientela ou mercantilização da profissão, além de vedar, expressamente, a veiculação de publicidade por meio de rádio, cinema e televisão, o uso de outdoors, painéis luminosos ou formas assemelhadas de publicidade”, como explica o Secretário Geral da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Mato Grosso do Sul (OAB/MS), Marco Aurélio de Oliveira Rocha, em artigo publicado no site Migalhas.

Nas redes sociais, advogados contestaram a homenagem. “Observem todos que o nome da faculdade não tem nenhum destaque. O único destaque é o nome da advogada”, escreveu um. Outra vai mais longe e diz ser “capação de sufrágios”.

 

Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook

 

Procurada pelo bahia.ba, Lorena Brandão afirmou que irá pedir que seu nome seja retirado do NPJ para evitar mais polêmica. Além disso, argumentou que está “cercada de total legalidade” e que o NPJ é “reconhecido pelo MEC e que em breve terá um balcão de justiça em conjunto com o Tribunal de Justiça”. Confira, abaixo, a nota completa:

Sobre o Núcleo de Prática Jurídica Professora Lorena Brandão (NPJ), que funciona atualmente no Salvador Norte Shopping, a vereadora, diretora do curso de Direito da Faculdade Batista Brasileira (FBB) e professora Lorena Brandão informa que:

O NPJ, que é reconhecido e cadastrado pelo MEC e que em breve terá um balcão de justiça em conjunto com o Tribunal de Justiça, se trata de um ATENDIMENTO SOCIAL voltado apenas para pessoas com renda abaixo de dois salários mínimos.

A vereadora ainda informa que o Núcleo leva o seu nome por se tratar de uma homenagem que a FBB realizou após a comemoração de 20 anos de profissão da citada, há três anos atrás.

Mesmo se cercando de total legalidade, o NPJ informa que nos próximos dias estará retirando a placa com o nome da vereadora para que assim sejam evitados maiores questionamentos populares, como esse.