Publicado em 18/01/2018 às 08h40.

Partidos aliados de ACM Neto estão sem diretórios em Salvador

MDB e PSDB, principais legendas da base do prefeito da capital baiana, estão sem comando municipal

João Brandão
Foto: George Gianni / PSDB
Foto: George Gianni / PSDB

 

Dois dos partidos mais importantes da base aliada do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), o MDB e o PSDB estão sem diretório municipal na capital baiana.

Em uma crise dentro e fora do partido, o MDB – antes PMDB – teve seu último presidente municipal eleito no dia 16 de outubro de 2015, o deputado Lucio Vieira Lima, irmão do ex-ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima.

“Está sem presidente”, confirmou o parlamentar, ao bahia.ba, na última segunda-feira (15). Conforme apurou a reportagem com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), além de estar sem presidente,  a sede do partido está desativada. A sigla está presente em 113 das 417 cidades baianas.

A gestão da capital da Bahia, por exemplo, pode cair na mão de Bruno Reis, um emedebista, se o atual prefeito ACM Neto (DEM) decidir concorrer ao governo do Estado na eleição deste ano.

O PSDB também está sem comando na capital baiana, pois o deputado federal Antonio Imbassahy não convocou eleições para definir o controle do espaço. Cabia a ele constituir o pleito, já que foi o parlamentar mais votado no município.

O último presidente municipal foi o vereador licenciado Paulo Câmara, hoje na Secretaria Nacional de Assuntos Federativos, do governo federal. Ele foi eleito no dia 14 de junho de 2015.

A sigla tucana, fiel aliada de ACM Neto, quer uma vaga na chapa da oposição. Especula-se que Imbassahy e Jutahy Magalhães disputam internamente quem vai sair candidato ao Senado.