Publicado em 06/12/2017 às 11h20.

PF investiga desvio de recursos para Memorial da Anistia Política

Idealizada em 2008, com o objetivo de preservar e difundir a memória política dos períodos de repressão, a obra foi financiada pelo Ministério da Justiça

Redação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quarta-feira (6) a Operação Esperança Equilibrista, que investigou a não execução e o desvio de recursos públicos para a construção e implantação do Memorial da Anistia Política do Brasil, em Belo Horizonte.

Idealizada em 2008, com o objetivo de preservar e difundir a memória política dos períodos de repressão, a obra foi financiada pelo Ministério da Justiça e executada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Em nota, a PF informou que 84 policiais, 15 auditores da Controladoria-Geral da União (CGU) e dois do Tribunal de Contas da União (TCU) cumprem oito mandados de condução coercitiva e 11 de busca e apreensão.

Ainda segundo a polícia, mais de R$ 19 milhões já teriam sido gastos na construção e em pesquisas de conteúdo para a exposição. No entanto, até o momento, apenas a obra referente a um dos prédios estaria em andamento.

PUBLICIDADE