Publicado em 06/02/2018 às 15h10.

Reforma da Previdência nem chega ao Senado, aposta Lídice

Líder do PSB na Câmara, o deputado Júlio Delgado disse que o governo não conseguirá reunir apoio suficiente para aprovar proposta na Câmara

Rodrigo Aguiar

Em ato contra a reforma da Previdência nesta terça-feira (6), a senadora Lídice da Mata (PSB) disse acreditar que a proposta sequer chegará para apreciação na Casa. “A reforma não passará [na Câmara]. Há mais de um ano gastam criminosamente o dinheiro do povo em publicidade para convencer que é uma reforma necessária”, criticou a socialista.

Líder do PSB na Câmara, o deputado Júlio Delgado reiterou o discurso de Lídice. De acordo com o parlamentar, o governo não conseguirá reunir apoio suficiente na base aliada. “O número deles só diminuiu, e o nosso só aumenta”, afirmou.

Aeroportos – Vice-líder do PSOL na Câmara, o deputado Ivan Valente (SP) defendeu manifestações nos aeroportos brasileiros na semana após o carnaval para pressionar os parlamentares a votar contra o texto. A estratégia já foi adotada esta semana pelas centrais sindicais.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), reafirmou que o prazo para votar a proposta é fevereiro. No entanto, o democrata também já declarou que não colocará a matéria em votação na semana no dia 19 de fevereiro caso o governo não reúna os votos necessários para aprová-la.

O vice-líder do PSOL pediu ainda a compreensão de setores, ao defender uma paralisação completa das atividades no plenário.

“A obstrução da pauta aqui tem que ter o seguinte caráter: não tem setorial ou região precisando de dinheiro. A tarefa principal é parar o Congresso Nacional. Não venham nos pedir qualquer coisa nesse momento”, declarou.