Publicado em 14/06/2018 às 11h06.

Rui e Wagner tentam convencer Lídice a sair da briga. Mas ela se recusa

A única coisa certa é que até sábado os três terão um novo encontro, quando se espera produzir alguma saída

Levi Vasconcelos

Frase da vez

“Liberdade é, sempre e fundamentalmente, a liberdade de quem discorda de nós”

Rosa Luxemburgo, filósofa polaco-alemã (1871-1919)

Foto: Izis Moacyr/Bahia.ba
Foto: Izis Moacyr/Bahia.ba

 

Rui Costa e Jaques Wagner reuniram-se ontem por mais de três horas com a senadora Lídice da Mata (PSB) na tentativa de construir uma engenharia política de alta complexidade, tirá-la da chapa governista sem melindres políticos.

Nada feito. Rui arguiu os seus compromissos com o senador Otto Alencar (PSD), que indicou Angelo Coronel, presidente da Assembleia, para a segunda vaga de senador (a outra é de Jaques Wagner) e Lídice reafirmou que também quer.

Novo encontro

A única coisa certa é que até sábado os três terão um novo encontro, quando se espera produzir alguma saída.

Como, se Rui tem Otto Alencar e João Leão (PP), o vice, como aliados fora do campo da esquerda e não vai descartar nenhum dos dois?

O cenário é farto em especulações. Se diz que uma das saídas é Lídice disputar uma vaga na Câmara. Isso criaria uma dificuldade no PSB, que já tem como deputado federal Bebeto Galvão e outro candidato competitivo, Marcelo Nilo.

Especula-se que Bebeto está em dificuldades. Ligado ao Sindicato da Indústria da Construção Pesada (Sintepav), os financiadores dele de 2014 se encolheram (ou estão presos) com a Lava Jato.

Bebeto teve 27 mil votos em Ilhéus, sua base, em 2014 e em 2016, como candidato a prefeito, teve 12 mil, ficou em terceiro. Se diz que uma das ideias é ele apoiar Lídice a troco de uma secretaria adiante. Ninguém confirma.

Levi Vasconcelos

Levi Vasconcelos é jornalista político, diretor de jornalismo do Bahia.ba e colunista de A Tarde.