Publicado em 26/06/2019 às 22h00.

Só se o GSI tivesse bola de cristal para prever, diz Heleno sobre cocaína em avião da FAB

Ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) classificou episódio como "lamentável"

Redação
Foto: Fábio Rodrigues/Agencia Brasil
Foto: Fábio Rodrigues/Agencia Brasil

 

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, disse ao blog da jornalista Andréia Sadi que seria preciso uma “bola de cristal” para prever que um integrante da tripulação do presidente Jair Bolsonaro (PSL) transportaria 39 kg de cocaína em sua bagagem.

“Só se fôssemos videntes. Se o GSI tivesse bola de cristal. Ele não tem nada a ver conosco. Estou ansioso para ouvir a explicação do próprio”, disse Heleno, por telefone, na noite desta quarta-feira (26).

Ao classificar o episódio como “lamentável”, disse que o GSI “não tem responsabilidade na revista de bagagens e de passageiros em aviões da FAB”.

O ministro está no Cazaquistão, onde a comitiva presidencial faz escala antes de seguir para o Japão.

PUBLICIDADE