Publicado em 20/04/2017 às 15h27.

Solla diz que ACM Neto vive ‘fase da negação’: ‘Ficou despido’

Deputado petista afirmou que prefeito "repetiu tanto seu discurso moralista que acabou esquecendo quem era e acreditou no próprio personagem"

Redação
(Foto: Gustavo Lima/Câmara dos Deputados).
Foto: Gustavo Lima / Câmara dos Deputados

 

O deputado federal Jorge Solla (PT) afirmou, por meio de nota, que o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), “vive a fase da negação”. “Freud explica. Ele repetiu tanto seu discurso moralista que acabou esquecendo quem era e acreditou no próprio personagem. Agora ficou despido frente a opinião pública, perdeu o discurso e a razão”, declarou o parlamentar.

O prefeito disse nesta quinta-feira (20) que não podia “ser medido pela régua” dos petistas e que “não se mistura, nem com Jorge Solla, nem com os partidários dele”, ao rebater a tese defendida pelos adversários, de que teria perdido o discurso da “ética” após ser citado em delações da Odebrecht como beneficiário de caixa 2.

Solla ainda ironizou Neto, ao dizer que ele terá “como todos os citados na delação, o direito inalienável à defesa, que ele sempre negou a seus adversários quando optou pelo caminho do moralismo barato, do achincalhe desrespeitoso”.

“A turma de Neto – de seu principal aliado do PMDB a seu líder na Câmara – está toda delatada na Lava Jato. Pela sua régua, poderia chamar o neocarlismo do grupo político mais corrupto da história da Bahia. Não faço política desta forma”, declarou o deputado.

PUBLICIDADE