Publicado em 07/12/2017 às 13h20.

STJ recebe denúncia contra Pimentel, mas governador permanece no cargo

O petista é acusado de receber propina da Odebrecht no período em que era ministro de Dilma Rousseff

Redação
Foto: Reprodução/Veja
Foto: Reprodução/Veja

 

Por decisão unânime, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) recebeu a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT). Apesar disso, os ministros da Corte decidiram mantê-lo no cargo.

A justificava para a permanência de Pimentel no governo é a de que não há elementos que justifiquem o afastamento. Ele é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, por recebimento de propina da Odebrecht na Câmara de Comércio Exterior (CCE). Na época, ele era ministro do Desenvolvimento da então presidente Dilma Rousseff (PT).

O julgamento começou na semana passada, mas havia sido suspenso. Nesta quarta-feira (6), todos os dez ministros votaram pelo recebimento da denúncia.

O advogado de Pimentel afirma ter reunido provas para apresentar aos ministros, de acordo com a Folha de S.Paulo. Ele diz que o “STJ desconhece provas que chegaram à defesa na semana passada”, caso contrário a denúncia “nem sequer seria recebida”. Contudo, o defensor preferiu não informar quais seriam as provas.

PUBLICIDADE