Publicado em 20/02/2019 às 16h24.

Vereadores criticam jovens nomeados por Pimentel por suposto ‘fascismo’

Postagens de integrantes da juventude do PSL acabaram dando "munição" contra o secretário, que já foi convocado à Câmara para responder sobre réu por agressão a mulher

Bianca Andrade / Juliana Almirante / Rodrigo Aguiar
Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook

 

Vereadores de Salvador criticaram, nesta quarta-feira (20), os integrantes da juventude do PSL que foram nomeados por Alberto Pimentel para a Secretaria do Trabalho, Esporte e Lazer de Salvador (Semtel).

De acordo com o site Bahia Notícias, os indicados para a pasta Micael Thomas e Murilo Nascimento fizeram publicações nas redes sociais exaltando ditadores e criticando o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), correligionário do prefeito de Salvador, ACM Neto. O bahia.ba procurou as publicações nos perfis dos jovens, na tarde desta quarta-feira, mas já tinham sido apagadas.

As postagens acabaram dando “munição” aos vereadores contra o secretário, que já foi convocado para prestar esclarecimentos na Câmara Municipal para responder sobre a nomeação de um réu por violência contra mulher. 

“Vejo a estupidez de vários segmentos que estão no governo do prefeito ACM Neto. Não posso tolerar um membro dessa gestão fazer isso. Solicito que o prefeito demita imediatamente uma pessoa que faz apologia ao fascismo”, disse o líder do governo, Henrique Carballal (PV), em discurso no plenário.

As críticas aos jovens indicados para a Semtel também receberam apoio de Edvaldo Brito (PSD). “O vereador Henrique Carballal sobe à tribuna para fazer uma manifestação extremamente grave no sentido de que essas pessoas que estão nessa secretaria estão defendendo ideologias que estão banidas da nossa constituição, quando ela fala em estado democrático de direito. Não se pode fazer nenhuma elegia, nenhum louvor a fascismo, a comunismo, ao que eles queiram fazer, como o vereador Carballal acaba de manifestar”, disse Edvaldo em entrevista coletiva.

Maurício Trindade (também correligionário do prefeito) endossou o coro: “Um grupo fascista assumiu uma secretaria de Salvador”.