Publicado em 22/03/2019 às 16h48.

Conflitos no governo de Bolsonaro geram cautela no comércio baiano

Comerciantes que antes estavam otimistas agora têm cautela e projetam crescimento de vendas para o período da Páscoa em igual ao do ano passado

Rayllanna Lima
Foto: Carlos Augusto/Jornal Grande Bahia
Foto: Carlos Augusto/Jornal Grande Bahia

 

Desde novembro do ano passado que o comércio baiano tem se mostrado otimista com as vendas, sobretudo após a Black Friday, quando foi constatada a retomada da confiança do consumidor.

Agora o cenário é outro. Em entrevista ao bahia.ba, o presidente do Sindilojas (Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado da Bahia), Paulo Motta, demonstrou que o comércio está preocupado com o reflexo que as decisões do governo Bolsonaro têm provocado no consumidor.

“O País está muito instável. Está acontecendo muita coisa que não está trazendo confiabilidade. Tudo na política reflete no consumidor. Esse conflito de posicionamento do governo, as indecisões sobre a reforma da Previdência, tudo traz cautela”, disse Paulo Motta.

Com isso, se em outras datas importantes para o comércio, como no Natal, os lojistas estavam otimistas e com grandes expectativas de vendas, atualmente não há tanto o que comemorar.

“A Páscoa é uma data importante para o varejo. Toda a semana da Páscoa se destaca na parte de chocolates em geral, de brinquedos para as crianças. Em princípio, posso dizer que só podemos projetar essa mesma expectativa do ano passado, que foi de 1%. Tudo vai depender da movimentação do consumidor”, afirmou o presidente do Sindilojas.

PUBLICIDADE