Publicado em 08/12/2018 às 16h50.

Conselho de Pituaçu lança repúdio a mudança de poligonal

Segundo grupo, poligonal decretada retira duas áreas que o conselho considera cruciais para o espaço

Redação
Foto: Adenilson Nunes/ GOVBA
Foto: Adenilson Nunes/ GOVBA

 

O conselho do Parque Metropolitano de Pituaçu aprovou uma moção de repúdio à definição de nova poligonal para o espaço, que teria sido realizada sem consulta prévia aos membros do grupo.

Os conselheiros afirmam que, no mês de novembro, o governo publicou um decreto com poligonal que beneficiaria principalmente à construtora Delta e a estatal Bahia Investe, deixando de lado a proposta feita pelo conselho.

“Mais uma vez o conselho foi atropelado por uma iniciativa do governo que não respeitou o processo participativo. Discutimos uma proposta, encaminhamos para o governo e ela não foi nem considerada. O decreto não tem legitimidade porque não foi discutido com atores que precisariam estar nesse processo. Pedimos audiências para dialogar melhor e não fomos atendidos. O governo
pecou nesse processo, com falta de diálogo e de transparência para encaminhar uma questão importante de conservação da biodiversidade do Parque de Pituaçu”, reclama em nota, Renato Cunha, membro do conselho pelo Grupo Ambientalista da Bahia.

A poligonal decretada pelo governo retira duas áreas que o conselho considera cruciais para a integridade de Pituaçu: “O grande problema que vemos nessa nova poligonal é a exclusão de uma área bem arborizada e sem ocupação que deveria ser mantida no parque. É terreno de uma construtora e provavelmente vai ser desmatado e loteado, descaracterizando a região”, aponta Renato.

PUBLICIDADE