Publicado em 09/11/2015 às 12h45.

Exposição e seminário celebram obra de Thales de Azevedo

Programação será aberta nesta terça-feira (10) e segue a até a próxima sexta-feira (13)

Redação

O reconhecimento do professor Thales de Azevedo como um dos mais importantes intelectuais baianos será celebrado a partir desta terça-feira (10), às 19h, no Museu de Arte da Bahia (MAB), com a abertura da exposição Presença de Thales, composta de aquarelas, memória fotográfica e objetos de trabalho do homenageado.  Ainda neste dia serão lançadas as publicações “Thales de Azevedo e a arte de escrever e pintar”, de Paulo Ormindo de Azevedo, e “Uma pesquisa sobre a vida social no Estado da Bahia”, de Jaci Maria Ferraz de Menezes. O público poderá conferir também a exibição de um documentário e uma pequena seresta dedicada a Thales de Azevedo.

No dia 11, a partir das 8h30, no Convento do Desterro, em Nazaré, terá  início o seminário, com a apresentação de trabalhos sobre a obra do intelectual. Com várias mesas sobre temas em que o homenageado dedicou suas pesquisas e reflexões – História e Relações Raciais, Estado e Religião, Corpo e Saúde – as discussões seguem até o dia 13 de novembro. O encerramento, que acontece às 20 horas, no Salão Nobre da UFBA, no Canela, contará com apresentação da Orquestra Sinfônica da UFBA.

Sobre Thales Azevedo- Formado em medicina pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), Azevedo destacou-se como clínico de sucesso, ocupando diversos cargos governamentais no campo da saúde pública, realizando estudos notáveis nessa área, sendo um professor ilustre das faculdades de medicina da UFBa  e da Universidade do Brasil.  Também foi um dos fundadores do curso de Serviço Social da Universidade Católica de Salvador e veio a tornar-se um paladino das Ciências Humanas em seu estado e da Associação Brasileira de Antropologia.

Como escritor,  foi responsável por uma obra que é considerada um clássico, tanto da antropologia como da historiografia brasileira (Povoamento da Cidade do Salvador). Destacou-se por seus estudos a respeito de raça e etnicidade, estado e religião, imigração, aculturação; inaugurou entre nós a chamada Antropologia do Cotidiano. Integrante da Academia Brasileira de Letras, Thales também atuou como jornalista e autor de textos ficcionais, além de ser ainda hoje reconhecido  como um dos cientistas sociais brasileiros de maior prestígio internacional. Mas também se destacou como jornalista e escritor brilhante, incursionando pela ficção.