Publicado em 11/07/2018 às 19h20.

Mais de 15 academias de saúde foram depredadas nos últimos 15 dias

Ao bahia.ba, a Desal informou que gasta em média R$ 32 mil por mês para consertar os equipamentos espalhados ao ar livre pela cidade

Rayllanna Lima
Foto: Divulgação/Desal
Foto: Divulgação/Desal

 

Uma academia destruída por dia. É praticamente esse o balanço feito pela Companhia de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Desal) nos últimos 15 dias, quando 16 academias foram identificadas depredadas.

Ao bahia.ba, o órgão informou que gasta mensalmente R$ 32 mil para recuperar os equipamentos ao ar livre, que começaram a ser implantados na capital baiana a partir de 2013. De lá para cá, foram 180 novas academias entregues à população.

Secretário da pasta, Marcílio Bastos define como “um retrocesso” a depredação das academias, pontuando que há equipamentos danificados pelo tempo e pelo uso das pessoas, mas que o dano causado pelo vandalismo é quase irreversível.

“Os índices de vandalismo têm sido um retrocesso nos números crescentes de equipamentos. Pelo menos 30% dos conjuntos de ginástica precisam de algum tipo de reparo”, disse.