Publicado em 19/02/2019 às 07h55.

Para Dodge, investigação estadual da chacina do Cabula ‘tem indícios de parcialidade’

Procuradora-geral da República recorreu da decisão do STF, que negou a federalização das investigações do caso

Redação
Foto: Reprodução/Agência Brasil
Foto: Reprodução/Agência Brasil

 

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirmou que as investigações da chamada ‘chacina do Cabula’, ação da PM que deixou 12 mortos há quatro anos, foi conduzida “com indícios reais de parcialidade”, uma vez que houve divergências entre o Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) e a Polícia Civil.

Dodge recorreu da decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que negou a federalização das investigações do caso.

De acordo com o jornal Correio*, o recurso foi anexado na última sexta-feira (15) ao Incidente de Deslocamento de Competência (IDC) 10, ajuizado pela PGR em junho de 2016, após a Justiça estadual da Bahia ter absolvido vários policiais militares envolvidos na suposta chacina.

Segundo o documento, o STJ reconheceu ‘haver grave violação a direitos humanos e risco de responsabilização internacional para o Brasil se o caso não foi devidamente investigado’.

PUBLICIDADE