Publicado em 14/06/2018 às 11h38.

Policiais que atiraram em ator vão responder em ‘esferas penal e administrativa’

Kátia Brasil, corregedora chefe da Polícia Civil confirmou que os agentes tem o direito de responder em liberdade; Lelo Sacramento, do Bando de Teatro Olodum foi alvejado na perna nesta quinta-feira (13)

Redação
Foto: SSP/Bahia
Foto: SSP/Bahia

 

A corregedora chefe da Polícia Civil, Kátia Brasil confirmou que os policiais responsáveis por atirar em Lelo Sacramento, ator do Bando de Teatro Olodum, na noite desta quinta-feira (13), irão responder pelo crime nas esferas civil e penal. No entanto, como está previsto por lei, os agentes vão ter o direito de defesa em liberdade.

Kátia garantiu que haverá total celeridade no processo, que deve ser concluído “o mais breve possível”:

“O tempo é de receber os laudos periciais, reverificar a extensão da lesão, ouvir a vítima e os advogados. As medidas emergências já foram todas tomadas ontem”, disse em entrevista ao Bahia Meio Dia.

Quanto à ação policial, a corregedora se resumiu a falar que em sua posição não tem como “acusar nem defender”, mas que irá “apurar os fatos”. Contudo, admitiu que disparos são usados “como última alternativa”.

Kátia informou que será verificado se há mais testemunhas ou se no local tem câmeras de segurança que podem ajudar na investigação. Lelo Sacramento foi alvejado na perna, durante uma abordagem policial na Avenida Sete de Setembro, no Centro Histórico da cidade.