Publicado em 15/05/2018 às 17h28.

Prefeitura nega irregularidades administrativas no Réveillon 2017

O MP instaurou inquérito para investigar a festa, atendendo ao pedido do vereador Everaldo Augusto (PCdoB); a Saltur declarou que já prestou "todas as informações solicitadas"

Rayllanna Lima
Foto: Max Haack / Secom
Foto: Max Haack / Secom

 

Após o Ministério Público da Bahia (MP-BA) instaurar inquérito a fim de apurar irregularidades na contratação de bandas pra o Réveillon 2017, realizado pela prefeitura municipal, a Empresa Salvador de Turismo (Saltur), em nota enviada ao bahia.ba, garantiu que não há irregularidades nas contratações realizadas.

“A entidade já colaborou com o Ministério Público prestando todas as informações solicitadas e se encontra à disposição da promotoria para quaisquer esclarecimentos adicionais”, diz a nota.

O inquérito foi resultado de uma representação formulada em julho de 2016 pelo então vereador Everaldo Augusto (PCdoB), hoje presidente municipal do partido e chefe de gabinete da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb).

Everaldo Augusto afirma que o Município cometeu ato de improbidade administrativa ao ocultar o valor gasto para a realização do evento, além de não indicar o crédito orçamentário e licitações prévias.