Publicado em 20/05/2019 às 17h40.

Salvamar alerta para riscos de banho de mar em períodos de chuva

Idela, de acordo com a Coordenadoria de Salvamento Marítimo, é evitar o banho de mar entre abril e junho

Redação
Foto: Secom/prefeitura de Salvador
Foto: Secom/prefeitura de Salvador

 

No período de chuva em Salvador, que compreende os meses de abril a junho, é preciso tomar cuidado com o banho de mar. Nessa época, as correntes marítimas e as correntes de retorno ficam mais fortes, devido aos ventos, fazendo com que os banhistas fiquem mais suscetíveis ao afogamento.

Uma dica da Coordenadoria de Salvamento Marítimo de Salvador (Salvamar), vinculada à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), é dobrar a atenção com as crianças. “Os pequenos têm o sistema imunológico em formação, por isso, eles estão mais vulneráveis a contrair hepatite, dermatites, infecções de pele e leptospirose entre outras patologias comuns ao período”, afirma João Luís Moraes, coordenador da Salvamar.

O ideal, segundo Moraes, é evitar o banho de mar nesses meses. Mas se a opção é ir à praia, é fundamental que o banhista procure um local que tenha salva-vidas e se informe sobre as condições do local.

Registros

De janeiro ao início de maio deste ano, o órgão registrou 502 ocorrências no trecho entre o Jardim de Alah e Ipitanga, entre as quais 448 foram resgates. Nesse período, foram registradas três mortes por afogamento nas praias de Piatã, Jaguaribe e Itapuã (Pedra do Sal). Neste mês de maio, as praias com maior número de incidentes registrados foram Piatã e Jaguaribe. Em 2018, foram registradas 990 ocorrências e três mortes.

A Salvamar tem um efetivo de 241 salva-vidas, na extensão que vai do Jardim de Alah a Ipitanga, distribuídos por 32 mirantes e seis barracas móveis. Os postos da Salvamar funcionam no período de 8h às 18h, exceto quando há treinamento dos colaboradores – nestes dias, a operação começa às 9h.

PUBLICIDADE