Publicado em 23/04/2019 às 21h00.

Semana Santa: setor hoteleiro teve ocupação abaixo da expectativa

Antes dos cancelamentos de voos da Avianca, empresários esperavam ocupação em torno de 70%, mas o índice ficou em 60%; resultado, contudo, foi maior do que o registrado em 2018

Rayllanna Lima

Foto: Reprodução/ABIH-BA

 

A crise que atingiu a companhia aérea Avianca refletiu no baixo desempenho do setor hoteleiro em Salvador durante o feriadão da Semana Santa. Antes de começarem a ser cancelados os voos tendo Salvador como destino de partida e chegada, a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia (ABIH-BA) estimava fechar a ocupação hoteleira em torno de 70%.

“Não deu para atingir esse percentual por causa dos cancelamentos [de voos] que ocorreram. Ficamos com 60,92% este ano, um ponto a mais do que no ano passado, que ficamos com 58,22%. A questão dos cancelamentos é uma perda muito grande para o setor hoteleiro, porque são mais de 1,2 milhão de passageiros que a Avianca deixa de transportar. É um baque, um grande prejuízo”, disse ao bahia.ba o presidente da ABIH-BA, Glicério Lemos.

Ele avalia que “falta incentivo por parte do Governo do Estado” no turismo da Bahia.

“Acho que o secretário novo, Fausto Franco, pode fazer um trabalho de tentar reverter, porque até então não se tinha uma relação do Estado com o turismo. O que deveria ser feito, não foi feito há anos, que é a redução do ICMS. Perdemos esses hubs, e isso também faz uma falta muito grande. Espero que o novo secretário possa modificar a atuação do governo e melhorar a relação com o turismo”, afirmou Glicério.