Publicado em 09/11/2018 às 16h40.

Última fase: confira as dicas para se dar bem no segundo dia do Enem

Devido ao Horário de Verão, candidatos baianos devem ficar alertas: portões abrem às 11h e fecham às 12h

Rayllanna Lima
Foto: Reprodução/ Curso Gregor Mendel
Foto: Reprodução/ Curso Gregor Mendel

 

A segunda e última fase do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) será realizado nesse domingo (11), quando os mais de 5,5 milhões de inscritos devem retornar aos locais de provas para responder as questões sobre ciências da natureza e matemática. Serão cinco horas para responder as 90 perguntas – 30 minutos a mais do que o tempo disponível no ano passado.

Na primeira fase do Enem, realizada no último domingo (4), o estado baiano registrou a menor taxa de abstenção desde o ano de 2009. Foram 23,5% de ausências (93.646 pessoas), o que representa uma taxa menor do que a média nacional, que foi de 24,9%. A Bahia teve 398.492 inscritos, sendo o terceiro estado com maior número de habilitados às provas em todo o país – junto com São Paulo e Minas Gerais -,  ficando com a menor taxa de abstenção.

Conforme esclarece o Governo do Brasil, o comparecimento para a segunda fase é recomendado até mesmo para os estudantes que não foram ao primeiro do exame, porque, além de servir como um treinamento para edições futuras do Enem, a presença em pelo menos em um dos dois dias de provas garante o direito à isenção da taxa de inscrição para o Exame em 2019. Os candidatos que faltarem aos dois dias terão que apresentar uma justificativa de ausência para manter o direito à gratuidade no ano que vem.

Orientações – Para as provas da segunda etapa, as principais orientações dadas aos candidatos seguem valendo. É essencial ficar de olho no relógio, uma vez que o Enem será aplicado em quatro fusos horários diferentes.

É importante que o participante não esqueça de levar um documento oficial de identificação com foto, que pode ser a carteira de identidade expedida por secretarias de Segurança Pública, pelas Forças Armadas, pela Polícia Militar ou Polícia Federal; a Carteira de Trabalho e Previdência Social; o Passaporte; a Carteira Nacional de Habilitação, ou a Identidade Funcional com fotografia.

Os estudantes também devem levar caneta de tinta preta revestida por material transparente. É recomendado levar o Cartão de Confirmação de Inscrição impresso, uma vez que ele reúne informações como o local de prova e a opção de língua estrangeira escolhida, entre outros dados específicos de cada participante.

É proibido entrar na sala de prova com borracha; caneta de material não transparente; corretivo; dispositivos eletrônicos (calculadoras, celulares, smartphones, tablets, ipods, gravadores, pen drives e relógios, por exemplo); fones de ouvido ou qualquer transmissor, gravador ou receptor de dados imagens, vídeos e mensagens; impressos e anotações; lápis; lapiseira; livros e manuais.

Recomenda-se que o estudante se alimente de maneira equilibrada antes do exame, para evitar transtornos durante as provas, bem como beber água e comer frutas para manter o foco e a energia. Uma boa noite de sono também é fundamental para manter a concentração nas questões.

Portões na Bahia – Por conta do horário de verão, os candidatos que realizam a  deverão continuar atentos para não correrem o risco de atrasos. Na Bahia, a abertura dos portões será às 11h e o fechamento ao meio-dia.

O início das provas será às 12h30. No dia 14 de novembro, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), responsável pela realização do ENEM, divulgará os gabaritos e cadernos de provas das duas etapas da avaliação. O resultado final será anunciado no dia 18 de janeiro.

A estrutura para aplicação do Enem envolve 10.718 locais de aplicação, 155.254 salas e mais de meio milhão de colaboradores. Foram impressas 11,5 milhões de provas de doze Cadernos de Questões diferentes, havendo ainda uma videoprova em Língua Brasileira de Sinais (Libras). Ao todo, são quase 600 mil pessoas envolvidas na aplicação do exame.

A nota do exame poderá ser usada para concorrer a vagas no ensino superior público pelo Sisu (Sistema de Seleção Unificada), a bolsas em instituições privadas, pelo ProUni (Programa Universidade para Todos) e Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior).