Publicado em 10/08/2018 às 11h55.

Walmart nega orientação para acionar Transalvador e adverte funcionário

Na quinta-feira, um leitor do bahia.ba entrou em contato com a reportagem para questionar a postura de um segurança durante uma abordagem na loja de Nazaré, no centro de Salvador

Luís Filipe Veloso
Foto: Reprodução/ Google Street View
Foto: Reprodução/ Google Street View

 

Após denúncia do bahia.ba, a rede de supermercados Walmart, antigo Bompreço, disse, por meio da assessoria, que não orienta os funcionários a acionar a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) para autuar veículos estacionados nas dependências da loja de Nazaré, em Salvador.

A empresa afirma que tomou “providências” em relação ao segurança que teria ameaçado um cliente quando chegava à loja do bairro de Nazaré, no centro de Salvador, na quinta-feira (9): “Se passar mais de uma hora estacionado vou chamar a Transalvador para multar”.

Questionado sobre o que teria sido feito em relação ao vigilante, o Walmart respondeu que “não detalha as medidas junto aos seus funcionários”.

Entenda – O homem contou ter entrado na loja para comprar frutas, ficou surpreso com a “recepção” e procurou o bahia.ba para saber se a postura do profissional foi correta.

Em resposta à reportagem, a Transalvador considerou a atitude do segurança uma “arbitrariedade” e esclareceu que “age com base no Código de Trânsito e só adentra área privada para fiscalizar vagas exclusivas de estacionamento [como vagas para deficientes, idosos e gestantes]”.