SSA
Publicado em 11/01/2017 às 14h25.

Hotelaria em Salvador tem pior desempenho dos últimos cinco anos

A taxa média de ocupação dos hotéis da capital baiana foi de 50,99% em 2016, segundo levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis na Bahia (ABIH-BA)

Redação
(Foto: Elói Corrêa/GOVBA)
Foto: Elói Corrêa / GOVBA

 

Com uma taxa média de ocupação de 50,99%, a hotelaria de Salvador teve em 2016 o pior desempenho dos últimos cinco anos, conforme levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis na Bahia (ABIH-BA). As médias anteriores foram de 53,67% (2015), 55,64% (2014), 56,27% (2013) e 58,76% (2012).

“O turismo é uma das atividades que mais emprega na capital, mas sua dinâmica é muito sazonal. A alta estação termina junto com o carnaval e a hotelaria amarga 10 meses nos quais a queda do turismo de lazer deve ser compensada pelo turismo de eventos. O desabamento do Centro de Convenções e a falta de um trabalho sistemático de divulgação do destino fez com que muitos de nossos visitantes migrassem para outras capitais turísticas, inclusive do Nordeste”, diz o presidente da ABIH-BA, Glicério Lemos.

Entre os quatro polos hoteleiros da capital baiana, o melhor desempenho foi registrado nas regiões de Itapuã/Stella Maris e Barra/Rio Vermelho. Mais uma vez, o polo Tancredo Neves/Stiep, voltado principalmente para o turismo de negócios, teve a pior ocupação.