Publicado em 26/11/2020 às 21h51.

Após Zé Neto ser alvo de fake news, Rui defende que religião não seja usada por partidos

Governador falou sobre o assunto durante visita ao arcebispo metropolitano Dom Zanoni

Redação
Foto: divulgação
Foto: divulgação

 

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), pediu que as eleições em Feira de Santana, no interior da Bahia, aconteçam sem o uso da religião como instrumento de luta partidária após fake news atribuir ao candidato Zé Neto (PT) o fechamento de igrejas e pedofilia em escolas. O petista falou sobre o assunto nesta quinta-feira (26), durante visita ao arcebispo metropolitano Dom Zanoni.

“A religião é uma relação direta que você tem com Deus e nunca poderá ser utilizada como instrumento de luta política partidária. Quem de fato crê em Deus, não pode, em momento algum, instrumentalizar a religião com calúnias e mentiras para apropriação eleitoral. Zé Neto é católico e tanto ele como Roque [candidato a vice-prefeito], são homens de família, cristãos e sempre defenderam a liberdade religiosa”, afirmou o governador.

Rui disse esperar que “as eleições transcorram com a verdade dos fatos” e que “os feirenses votem pensando em suas famílias, na fé em Deus e na mudança que esperam acontecer na cidade”.