Publicado em 30/03/2022 às 17h35.

‘Decisão já vinha sendo estudada há muito tempo’, diz Wagner sobre aliança com MDB

"Eu sentia que o MDB não estava confortável do lado de lá", disse o petista

Leilane Teixeira / Rodrigo Daniel Silva
Foto: Rodrigo Daniel Silva /Bahia.ba
Foto: Rodrigo Daniel Silva /Bahia.ba

 

O senador Jaques Wagner (PT) afirmou ao bahia.ba que a aliança formada com o MDB já vinha sendo estudada “há muito tempo”, e não foi algo de decidido de última hora. Responsável por coordenar a campanha de Lula e do pré-candidato ao governo da Bahia, Jerônimo. Rodrigues, Wagner deu detalhes de como foi feita a articulação com o partido.

“A conversa é antiga, eu sempre achei que era um momento bom para um reencontro do PT com o MDB, afinal, na minha primeira candidatura de 2006, foi uma grande surpresa. A dupla era a mesma: eu e Edmundo, que era MDB. E como eu sentia que o MDB não estava confortável do lado de lá (até porque tiraram todos os deputados deles, tomaram quase todos os prefeitos.) Então pra mim eu já tinha consciência de que havia um desconforto. E assim fomos discutindo, conversando, negociando até que chegou o momento da definição e definimos. Batemos o martelo na segunda mas não foi algo decidido há 20 dias atrás”, explicou.

Questionado se a decisão não seria um “troco” a ACM Neto, o petista nega.

“Eu não trabalho com esse conceito de dar troco. Eu desde o começo estava trabalhando pelo PMDB e pelo PDT. Rui tentou falar com Lupe várias vezes, que também é um partido que não teve as suas promessas cumpridas […] Assim como o MDB também, não é o estilo de lá, porque lá não faz ninguém crescer, o lado de cá faz todo mundo crescer”, argumentou.

 

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.