Publicado em 29/10/2020 às 19h40.

Eleitores sem renda, desempregados e até mortos doaram R$ 22 mi

Balanço do TSE encontrou 7 mil casos com indícios de fraude em prestação de contas de todo o país

Redação
Foto: José Cruz/Agência Brasil
Foto: José Cruz/Agência Brasil

 

O núcleo de inteligência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) identificou vários indícios de fraude em 7 mil casos constantes na prestação de contas nas eleições deste ano, em todo o país. As possíveis irregularidades ultrapassam o montante de R$ 22 milhões. As informações são do G1.

Há quase quatro mil doações de desempregados – que teriam aplicado R$ 15,9 milhões nas campanhas-, além de 782 eleitores sem renda suficiente e foram responsáveis por financiar candidatos em R$ 6,4 milhões. Outros cinco mortos teriam desembolsado R$ 6,8 mil.

Há outros indícios de fraude, como 775 fornecedores sem registro de atividade comercial ou cadastro na Receita Federal (R$ 1,3 milhão) e 217 empresas cujos sócios têm algum parentesco com os candidatos (R$ 471 mil).

Os dados coletados pelo TSE – que conta com parceria de órgãos federais – serão repassados aos juízes das zonas eleitorais, nos municípios, que decidirão sobre novas diligências.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.