Publicado em 26/09/2020 às 16h30.

Major Denice inicia campanha com ato simbólico no Bonfim

Neste sábado, prefeiturável destacou decreto que destinou 50% dos recursos da Bahia na Lei Aldir Blanc para linguagens artísticas negras

Redação
Foto: Jonas Santos/coligação Cuidar de Gente
Foto: Jonas Santos/coligação Cuidar de Gente

 

Apoiada pelo governador Rui Costa, a candidata a prefeita da Coligação que Cuida de Gente (PT-PSB), Major Denice Santiago (PT), dará largada à campanha com um ato simbólico na Igreja do Bonfim. Marcado para às 9hs deste domingo (27), o evento deverá contar com as presenças do governador, da candidata a vice, a deputada estadual Fabíola Mansur (PSB), e dos 106 concorrentes à vereança pela coligação.

A petista participará da missa na Igreja do Bonfim acompanhada dos correligionários. No ato político, o grupo seguirá protocolos de prevenção à Covid-19 fixados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), garantindo o uso de máscaras, alcool em gel e a manutenção do distanciamento entre as pessoas. Será atendido também o decreto estadual que limita os eventos a 100 pessoas.

Neste sábado (26), Major Denice ressaltou o decreto estadual que determinou a destinação de 50% dos recursos da Lei Aldir Blanc para a Bahia para as linguagens artísticas de negros e negras. “Garantir o mínimo de 50% é uma vitória histórica garantida pelo nosso governador Rui e pela nossa secretária (de Cultura) Arany (Santana)”, afirmou.

Major Denice acrescentou que, devido a critérios de órgãos estaduais, serão contemplados terreiros de candomblé e manifestações quilombolas e do Recôncavo da Bahia. Com isso, o número de manifestações baianas ligadas à população negra que serão beneficiadas pela Lei Kandir deve ultrapassar o mínimo de 50%.

“Tenho certeza que muitas outras manifestações estarão sendo contempladas”, disse. “O Governo da Bahia construiu uma forma extremamente democrática para utilizar os recursos da Lei Aldir Blanc, destinando o dinheiro para manifestações culturais que de fato estão afetadas pela pandemia, que são principalmente aquelas do povo negro, que vivem do turismo, do movimento”, finalizou.