Publicado em 23/09/2020 às 17h07.

O que Denice pensa sobre aborto, religião e a legalização das drogas?

Do livro de cabeceira à opiniões sobre temas polêmicos, bahia.ba apresenta os candidatos à Prefeitura de Salvador

Raphael Minho
Foto: Mila Cordeiro/Divulgação/Major Denice
Foto: Mila Cordeiro/Divulgação/Major Denice

 

Candidata à Prefeitura de Salvador pelo Partido dos Trabalhadores nas eleições de 2020, Major Denice Santiago tem 49 anos e é a idealizadora e co-fundadora da Ronda Maria da Penha, patrulha da Polícia Militar (PM-BA), que é responsável pelo combate à violência contra as mulheres. Embalada pelo apoio de grande figuras políticas da legenda como o governador Rui Costa (PT) e o senador Jaques Wagner (PT-BA), Denice deve fazer uma campanha levantando bandeiras sociais a favor da igualdade de gênero e contra o racismo.

Biografia
Nascida em 1971, no bairro de São Gonçalo do Retiro, em Salvador, Denice é filha do petroleiro Doberval Santos e da dona de casa Cleonice Santiago. A petista é a terceira irmã de uma família de cinco filhos, além de ser mãe do adolescente João Paulo Santiago, de 19 anos, e ser casada com Rafael Campos Costa.

A candidata do PT é graduada em Psicologia pela Faculdade da Cidade do Salvador e em Segurança Pública na Academia de Polícia pela Uneb (Universidade do Estado da Bahia) e pós-graduada em Gestão de Direitos Humanos e em Segurança Pública também pela Uneb. Denice ainda é mestre em Desenvolvimento e Gestão Social pela Faculdade de Administração da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e doutora no Núcleo de Estudos Interdisciplinares Sobre a Mulher (Neim), também na Ufba.

Denice ingressou na Polícia Militar ainda aos 19 anos, quando participou da primeira turma de sargentas da PM, em 1990. Entre os prêmios recebidos pela trajetória pessoal e profissional de inspiração, estão a Comenda Dois de Julho, da Assembleia Legislativa da Bahia (2018); a Comenda Maria Quitéria, da Câmara Municipal de Salvador (2018); o Prêmio Práticas Inovadoras no Enfrentamento à Violência Contra Mulher do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (2017); o Diploma Mulher Cidadã Berthalutz, concedido pelo Senado Federal em 2017; a Medalha do Mérito Policial Militar dos Estados da Bahia e Sergipe; e a Medalha do Mérito Militar Brigadeiro Falcão, da Polícia Militar do Estado do Maranhão (2017). Também foi laureada, entre diversas outras honrarias, com Medalha do Mérito do Ministério Público da Bahia; além do festejado Prêmio Claudia, na Categoria Políticas Públicas, concedido pela Revista Claudia, da Editora Abril (2017); e o prêmio Barra Mulher, do Shopping Barra (2017).

Religião e hobbies
Mesmo com tanto tempo dedicado a vida acadêmica e profissional, Major Denice também dedica tempo para a vida espiritual. Ela é adepta do candomblé, e entre os seus hobbies favoritos estão a leitura e o tempo com a família.

O livro de cabeceira da petista é a obra “Infiel”, da escritora política e feminista Ayaan Hirsi Ali. O título conta a vida da própria escritora que desafiou o islamismo. Em novembro de 2004, o cineasta Theo van Gogh foi morto a tiros em Amsterdã por um marroquino, que em seguida o degolou e lhe cravou no peito uma carta em que anunciava sua próxima vítima: Ayaan Hirsi Ali, que fizera ao lado de Theo o filme Submissão, sobre a situação da mulher muçulmana.

Já o seu filme favorito é “A Cor Púrpura”, dirigido por Steven Spielberg. O drama estadunidense, de 1985, baseado no romance epistolar da premiada autora afro-americana Alice Walker. Na obra, a personagem Celie, de 14 anos, é estuprada pelo pai e tem dois filhos, que lhe são tomados logo ao nascerem. Pouco depois, casa com Mister, que estava interessado em sua irmã Nettie. Ele a trata como empregada e babá de seus três filhos. Quando sua irmã Nettie vem morar com eles, Mister tenta violentá-la, mas Nettie consegue fugir. Mister a expulsa de casa. Celie passa então a escrever cartas para amenizar sua profunda tristeza e solidão. Anos depois, Mister leva sua amante Shug para morar com eles e as duas se tornam amigas.

Legalização do aborto
Em um dos temas mais polêmicos no Brasil, Denice disse acreditar que “ninguém é a favor do aborto” e que o debate é sobre a descriminalização da prática. No entanto, ela reconhece que “ainda mais importante, é discutir o processo de educação para a saúde da mulher e dos homens e o entendimento de que a prevenção é a regra”. Para ela, “debater políticas públicas neste sentido deve ser a pauta em uma discussão séria”.

Legalização das drogas
Quando o tema são as drogas, Denice é mais taxativa e diz ser contra a legalização das substâncias que atualmente são consideradas ilegais.

“Qualquer substância que possa causar danos biológicos e sociais não podem estar livres de controle e fiscalização. Liberar esses usos é ocasionar um problema de saúde pública que pode desencadear danos irreversíveis à sociedade”, afirmou em entrevista exclusiva ao bahia.ba.

Legado que gostaria de deixar
A candidata do PT também foi perguntada sobre qual legado gostaria de deixar, caso fosse eleita prefeita de Salvador. Segundo Denice, a manchete que gostaria de ler durante o seu mandato seria: “Atual gestão municipal transforma Salvador na cidade da igualdade e da justiça”.

Esta matéria faz parte de uma série de entrevistas que serão publicadas diariamente com todos os candidatos à Prefeitura de Salvador nas eleições de 2020.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.